FAQ

As perguntas e respostas às dúvidas mais comuns

Tratamento físico – a filtração

Qual a função do filtro?

O filtro é o “pulmão” de toda a instalação da piscina. Para que cumpra correctamente a sua função deve estar em perfeito estado de conservação e limpeza. Os filtros de areia (os mais comuns no tratamento físico das piscinas) são fechados, de funcionamento à pressão e com um leito de areia até cerca de dois terços da sua capacidade. A granulometria da areia (ou carga filtrante) utilizada no filtro é determinada pelas especificações do fabricante.
A concepção de um filtro de areia para piscinas privadas deve cumprir determinadas regras, nomeadamente no que respeita à velocidade de filtração a qual não deve exceder os 50m3/h/m2; o filtro deve, pois, estar associado a uma bomba que proporcione ao sistema um correcto caudal de circulação.
Filtrar é um processo fundamental para a qualidade da piscina uma vez que esta acção assegura a limpeza da água ao reter as impurezas em suspensão as quais, quando presentes em grande quantidade, além de darem à água um mau aspecto, reduzem a acção dos produtos químicos e podem potenciar a proliferação de microorganismos na água.

Como devo filtrar correctamente a minha piscina?

Para o correcto tratamento da água de uma piscina o mesmo tem que ser correctamente balanceado entre uma vertente física e uma vertente química. A vertente física assenta, primeiramente, num correcto dimensionamento do filtro e da bomba a utilizar para que um ciclo de filtração total da água se faça num espaço de tempo que não deve ultrapassar as 4/6 horas (no caso de uma piscina particular). Deste modo poder-se-á assegurar com maior facilidade uma água cristalina desde que esteja quimicamente equilibrada e tratada.

Como devo programar o relógio do quadro de comando da filtração?

Admitindo que o conjunto filtro/bomba da sua piscina foi correctamente dimensionado aquando da sua instalação, a programação das horas de filtração deve seguir uma regra muito simples: as horas de filtração devem ser metade do valor da temperatura da água. É evidente que nessa programação deve ser tida em conta uma eventual utilização intensiva da piscina; quanto mais utilizadores maior cuidado deve haver na quantidade de horas seleccionadas. Estes são critérios cuja aplicabilidade só a sua experiência e bom senso determinarão.

Para que serve a lavagem do filtro e quando devo fazê-la?

O procedimento de lavagem (“Backwash”) tem como objectivo retirar as impurezas acumuladas na areia durante o processo de filtração. Nesta posição da válvula selectora a água percorre o caminho contrário à filtração efectuando a limpeza da areia e rejeitando a água suja para o esgoto. Seguidamente à lavagem deve ser feito o enxaguamento (“Rinse”) durante alguns segundos, período de tempo durante o qual a água percorre o caminho igual ao da filtração efectuando a limpeza dos vestígios da água suja e compactando a areia no sentido da filtração. Esta água é também ela rejeitada para o esgoto. Lembre-se que as manobras na válvula selectora se fazem sempre com a bomba desligada.
O filtro deve ser lavado periodicamente, habitualmente após a aspiração da piscina, ou sempre que o manómetro de pressão do filtro esteja acima da pressáo normal de serviço.
Note que após as lavagens do filtro o nível de água na piscina vai baixar um pouco (3/4/5 cm – dependendo do tempo da lavagem e/ou da dimensão do espelho de água). No Verão há sempre uma evaporação que pode corresponder a 3/4 cm por semana. Reponha o nível de água de modo a que este fique sempre a meio da boca do skimmer – o que corresponde a sensivelmente à altura do esgoto-“ladrão”.

Quando devo verificar o filtro e mudar a areia?

Uma vez por ano é necessário comprovar o nível de areia e o seu estado de conservação. Esta operação deve ser feita antes do início da época balnear.
Quando a água é muito calcária, a necessidade de verificar o estado da areia é maior pois, neste caso, tendem a formar-se incrustações na areia, mesmo que proceda com regularidade a lavagens semanais. Com o tempo as incrustações originam uma obstrução no filtro, levando a água a criar canais preferenciais no interior do filtro tornando-o menos eficaz. Em casos extremos pode ser obrigado a proceder à substituição do filtro quando a areia fica petrificada.
Normalmente a substituição integral da areia é recomendada a cada 4/5 anos, dependendo da natureza da água e da manutenção que é dedicada à piscina.

Aparece areia no interior da piscina que vem dos injectores. Porquê?

A areia que eventualmente possa aparecer na piscina por esta via está normalmente relacionada com problemas na conduta principal do filtro, habitualmente ou a conduta se separou do canal dos difusores ou algum dos difusores está danificado ou partido – situação que em alguns casos pode ter origem no sobredimensionamento da bomba por relação ao filtro ou ainda no despejo descuidado da areia para o interior do filtro aquando do seu enchimento.

Como devem ser dimensionadas as bombas e qual a sua manutenção?

As bombas têm de ser dimensionadas em função da capacidade do filtro – o qual por sua vez deve ser dimensionado em função do volume de água a tratar – garantindo-se assim a correcta recirculação da água e um caudal adequado ao volume de água da piscina, numa palavra uma filtração eficiente.
Para o correcto funcionamento e manutenção do equipamento o pré-filtro, cesto em material plástico situado junto à bomba, deve ser sujeito a uma limpeza semanal a fim de retirar folhas e outras sujidades maiores que aí se depositam, especialmente após a aspiração. Para o fazer em segurança tenha o cuidado de desligar o quadro da bomba e fechar todas as válvulas das tubagens na casa de máquinas.
Anualmente, verifique a conservação da junta de borracha que assegura a estanquicidade da tampa de acesso ao pré-filtro.

Tratamento químico – a desinfecção e o equilíbrio da água

Como é uma água quimicamente equilibrada e bem tratada?

Uma água diz-se quimicamente equilibrada quando apresenta um pH entre 7,2-7,4, uma alcalinidade total entre os 100 e 150 ppm (parte por milhão) e uma dureza total entre os 150 e 300 ppm. Uma água equilibrada deve estar quimicamente bem tratada quando apresenta um teor de cloro (o oxidante mais usual na desinfecção) residual livre entre os 0,5 e 2,0 ppm e o seu pH não seja superior a 7,4. Conjuntamente com estes valores o teor de cloraminas não deve exceder os 0,5 ppm e o ácido cianúrico (estabilizador) os 75 ppm.

O que é o pH e porque é este parâmetro tão importante?

O que é o pH?

– O valor do pH indica se a água é ácida ou alcalina, e em que grau. A escala varia de 0 a 14.
– O pH da água é neutro quando ronda um valor perto dos 7.
– Diz-se que o pH de uma água é ácido quando o seu valor é inferior a 7.
– Diz-se que o pH de uma água é alcalino quando o seu valor é superior a 7.

Porque é tão importante?

Este parâmetro é importante porque o nosso corpo é sensível ao pH da água. Por exemplo; o valor de pH do líquido do olho humano é de 7,4, um valor do pH baixo irrita os olhos e seca a pele.
Por outro lado, os valores de pH afectam o poder de desinfecção da água: um pH elevado neutraliza o poder desinfectante do cloro e um pH demasiadamente baixo consome o cloro rapidamente.
Outro aspecto importante a referir é o facto do pH elevado tornar a água turva e favorecer a incrustação do calcário conquanto que o pH baixo favorece a corrosão dos metais (ex: escadas inox).

O que é a alcalinidade?

A alcalinidade é a quantidade de sais com carbonatos e bicarbonatos e hidróxidos existentes na água e é expressa em ppm (parte por milhão) de carbonato de cálcio. Este parâmetro mede a facilidade com que o pH se altera, isto é, quanto mais baixo o seu valor mais facilmente o pH baixa e vice-versa. Uma alcalinidade muito baixa torna a água corrosiva. O minorador de pH elimina o excesso de alcalinidade e o incrementador de alcalinidade aumenta-a diminuindo o consumo de incrementador de pH.

O que é o estabilizador - ácido cianúrico?

É um produto derivado do cloro orgânico (estabilizado) que tem como objectivo diminuir a degradação do cloro pela incidência da luz solar e do calor. A sua concentração deve rondar os 30 ppm (partes por milhão) e não ultrapassar os 75 ppm sob pena de inibir a acção do cloro. O cloro inorgânico (hipoclorito) não é estabilizado.

O que é a dureza da água?

A dureza traduz a quantidade de sais de cálcio e magnésio existentes na água e é expressa em ppm (parte por milhão) de carbonato de cálcio. O excesso de calcário torna a água turva e incrustante. O défice de calcário favorece a corrosão. Para neutralizar o efeito do calcário existe um produto para o seu tratamento específico: o anti-calcário.

Qual a periodicidade correcta para proceder à leitura das condições da água?

Não existe uma periodicidade certa. É aconselhável verificar a quantidade de oxidante (cloro, bromo, oxigénio) e os valores de pH, pelo menos, semalmente. No entanto, esta periodicidade – que é meramente indicativa – deve ser encurtada se houver uma utilização intensiva da piscina ou se a água usada no abastecimento e reposição provenha de um furo cujas características conduzam com facilidade a rápidos desequílibrios.

Se possui sistemas automáticos de tratamento com indicação dos valores, ainda assim, deve sempre verificar os valores indicados medindo na própria água, com kit de análise próprio, pelo menos uma vez por mês – aproveite para conferir os resultados obtidos com o kit de análise manual com os valores indicados nos equipamentos.

Problemas e soluções
ProblemaCausas ProváveisSoluções Recomendadas
Água esverdeada, paredes e fundos escorregadiosPresença de algas trazidas pela chuva ou vento.Água há muito tempo sem tratamento– Analisar o pH e se necessário, ajustá-lo para o nível ideal (7,2 – 7,4)- Escovar o fundo e as paredes da piscina.- Adicionar 1lt de anti-algas concentrado por cada 100m3- Filtrar por 6 a 12 horas. Deixar a água repousar por 12 horas. Aspirar.- Fazer super cloração com 15gr de cloro de dissolução rápida por cada m3 de água.
Água turva, leitosapH elevado.– Analisar o pH da água e se estiver elevado utilizar minorador de pH para ajustá-lo para o nível ideal (7,2 – 7,4).- Verificar a areia do filtro .- Adicionar 20/30gr de floculante liquído por cada m3 de água.- Filtrar a água por 12 horas.
Água turva com forte cheiro a cloroPresença de bronzeador na água da piscina.Presença de fuligem na água da piscina.– Envolver o apanha-folhas num pano e realizar a limpeza da superfície.- Fazer super cloração com 1,5kg de cloro de dissolução rápida por cada 100m3 de água.- Limpar as paredes da piscina junto à linha de água utilizando desengordurante da linha de água.
Irritação nos olhos ou cabelos ressequidospH desajustado.– Analisar o pH da água e se necessário ajustá-lo para o nível ideal (7,2 – 7,4).
Infecções nos banhistas após o uso da piscina (conjuntivite, micoses, etc.)Presença de bactérias e fungos na água causados pela falta de cloro.– Analisar o pH da água e se necessário ajustá-lo para o nível ideal (7,2 – 7,4).- Fazer super cloração com 1,5kg de cloro de dissolução rápida por cada m3 de água.- Manter sempre o residual de cloro livre entre 1,0 e 2,0 ppm.

Para a resolução destas e outras situações saiba que temos à sua disposição uma vasta gama de produtos químicos para o tratamento da água da sua piscina, que vão desde os produtos correctores de pH e de equilíbrio da água, a clarificantes, desinfectantes e algicidas.

Facebook
Facebook
YOUTUBE